Live do Colegiado de Assistência Social e Câmara Técnica do CISAMA

LIVE COLEGIADO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E CÂMARA
TÉCNICA DO CISAMA.
O assessor de Assistência Social da Amures/Cisama, Lauro
Santos coordenou na tarde de sexta-feira (26), uma
videoconferência sobre a melhor forma de aplicação dos
recursos destinados à área social dos municípios da Serra
Catarinense nesse período de pandemia do novo coronavírus.
A reunião contou com participação de gestores de assistência
social dos 18 municípios e com a consultora da Confederação
Nacional dos Municípios (CNM), Rosângela Ribeiro. Lauro
Santos explicou que esse período é de planejamento para o
presente e para o futuro.
"A pandemia vai passar e nós gestores teremos que gerenciar
os efeitos", destacou lembrando que os gestores têm de estar
atentos, a fatores como os aspectos do desamparo social que
a população vem enfrentando. Segundo Lauro Santos, as
pessoas que estão em quarentena, respeitando o isolamento e
distanciamento social tem efeitos diretos no trabalho da
assistência social.
Em toda Serra Catarinense, o trabalho dos gestores tem sido
intensificado desde o início da pandemia. Somente nesse
período foram publicadas 23 portarias federais de cunho social.
A consultora, Rosângela Ribeiro abordou os principais eixos
trazidos pelas normativas e avisou que "nenhuma delas
promove mudanças estruturantes, mas reforçam a oferta de
serviços do Sistema Único de Assistência Social - Suas".
Rosângela Ribeiro estendeu o apoio aos municípios e
confirmou que a Política de Assistência Social é um
compromisso da CNM, em parceria com as Federações e
Associações de Municípios. Grande parte dos questionamentos
dos gestores municipais foi sobre a aplicação de recursos
como pagamento de servidores do Sistema Único de
Assistência Social (Suas), dos Centros de Referência da
Assistência Social e de Referência Especializado de
Assistência Social (Cras e Creas) e dos Serviço de Convivência
e Fortalecimento de Vínculos (SCFV).
Na Serra Catarinense, todos os municípios aderiram aos
recursos assegurados pelas portarias federais e foram
orientados na reunião, a elaborar os planos de
contingenciamento que preveem ações com prioridades nos
recursos aplicáveis.